Início Opinião Coluna DICAS LEGAIS: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO NO INÍCIO DO ANO

DICAS LEGAIS: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO FINANCEIRO NO INÍCIO DO ANO

Ana Cristina Brandão

Ana Cristina Brandão *

É chegado o novo ano e com ele novas expectativas, novos planos e esperança renovada.

O planejamento financeiro anual no início de cada ano é essencial para o bom desenvolvimento econômico e bem estar familiar durante todos os dias, o que implica em impactos, inclusive, emocionais em todos os membros da família. 

Isso porque uma família que planeja junto, segura todas as fases, boas ou ruins, sempre juntos, e um mau planejamento pode levar a família ao endividamento ou pior, ao superendividamento, quando as famílias não conseguem saldar seus compromissos mensais mínimos para sua subsistência, por terem se superendividado pela falta de planejamento, por adquirir produtos e contratar serviços muitas vezes supérfluos ou que não havia necessidade de comprar naquele momento, agindo por impulso ou sem prever circunstâncias futuras que poderiam impedir o adimplemento das obrigações assumidas com aquela aquisição.

A falta de planejamento financeiro causa grandes transtornos em todos os âmbitos da vida do consumidor, tanto familiar, tendo em vista que muitas vezes traz prejuízos emocionais e até doenças mentais que afetam diretamente a convivência familiar, como na sua própria vida pessoal, podendo ficar restrito à créditos, tendo seu nome incluso nos cadastros restritivos de crédito, o que impede que o consumidor tenha acesso à créditos de sistemas financeiros e lojas, sendo impedido de realizar compras a prazo e adquirir produtos ou contratar serviços de forma parcelada.

Portanto, planeje-se! 

Junto com sua família faça uma lista de suas prioridades e necessidades diárias e mensais. Coloque os jovens e as crianças a par da situação financeira da família, para que entendam desde novos, a verdadeira realidade familiar, o que é importante para a formação deles também.

Faça uma tabela de receitas e despesas, inserindo as despesas básicas, necessárias e as extras. É imprescindível anotar para se ter uma percepção melhor do dinheiro que está entrando e saindo de caixa, para se fazer uma projeção futura, de pelo menos 12 meses.

Nesta tabela deverá conter despesas como alimentação, vestuário, transporte, educação, saúde, lazer, enfim, tudo que a família gasta para sua manutenção. Despesas extras devem ser anotadas separadamente, como viagens inesperadas, presentes de qualquer natureza, remédios extras, saúde complementar, exames extra rotina.

Com uma tabela bem elaborada, você e sua família terão a dimensão da receita familiar e dos gastos mensais, contribuindo para a convivência familiar saudável, sem cobranças, sabedores da realidade financeira que a família vivencia.

Não se esqueça de manter uma reserva para eventualidades como doença na família, material escolar extra como livros paradidáticos, aniversários e reuniões com amigos, pois esses momentos fazem parte do nosso cotidiano.

Os momentos de descontração devem estar inseridos no planejamento financeiro, pois também são importantes para o bem estar social e emocional da família.

Planeje, ainda, ter sempre uma reserva financeira. Guarde, pelo menos, 10% de tudo que receber, toda receita que entrar, e no final do ano você verá o quanto economizou e que pode fazer isso pelos próximos anos, mantendo sempre um dinheiro guardado para qualquer eventualidade ou para aquela viagem dos sonhos.

Feliz Ano Novo!!!

1 COMENTÁRIO

  1. Adorei as dicas. Eu tenho minha tabelinha e realmente é primordial pra dar uma respirada e saber o impacto dos próximos meses. Tem dois livros legais que li que me ajudaram muito, um da Natália Arcuri chamado ME POUPE e outro do Tiago Nigro chamado DO MIL AO MILHÃO SEM CORTAR O CAFEZINHO, se não os leu faço essa sugestão, vai gostar. Um abração forte. Sucesso Sempre 🥰

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui